Os militantes das Casas racionalistas cristãs, como fiéis instrumentos das Forças Superiores, verdadeiros “espelhos” da Luz Astral Superior. Pedro Pesce

Esta coletânea de artigos que denominamos “Esteios do Bem”, é fruto da ideia em pesquisar e construir artigos a 4 ou mais mãos, idealizado por José Gonzalo, entre companheiros estudiosos da Doutrina Racionalista Cristã.
Assim, os artigos floresceram dentro da espontaneidade entre seres de boa vontade, dispostos a crescer espiritualmente e registrar suas pesquisas.

Família como fonte de energia

Nos tempos atuais, a televisão vem dominando os melhores espaços no seio das famílias, do centro da sala de estar, invadiu o quarto de dormir e até na garagem nós a encontramos. Nesse meio as crianças e jovens ficam sem escolha.

Como alimentar suas preferências, como música, dança, roupa, linguagem, se são bombardeados exaustivamente por um único estilo dessas criações?

A educação do gosto e da preferência é tarefa da família e da escola; se não assumirem isso, os mais novos só apreciarão o que a mídia ou a indústria da moda determina. Portanto, a televisão como emissor de todo tipo de informação, não está poupando a ninguém, desde a mais simples família às mais abastadas, todos estão centrados nela, ficando assim abaixo de seus mandos e desmandos a mais inocente criança, ao papai, a mamãe, a vovó e ao vovô.

Vontade e Desejo — Uma Questão de Reeducação!

Vontade — energia, potência — é uma atividade da força, partícula inteligente em ação, uma luta em favor da evolução do espírito que age e opera a capacidade de reagir, repelir, e anular, principalmente as solicitações íntimas, quer as que nascem dos instintos ou as que provêm de necessidades corporais.

Desejo é uma palavra com sentido ambivalente — atende aos instintos, prazeres da matéria, apetites e desregramentos do corpo, gerando um falso modo de pensar e agir, podendo trazer enfermidades físicas e mentais, em prejuízo de si próprio e do semelhante.

E, força de vontade é ter disposição e entusiasmo para lutar e renunciar aos principais desejos ou instintos que nos cegam, como por exemplo: avareza, gula, inveja, ira, luxuria, preguiça, soberba, predileção por iguarias, sensualismo desenfreado, corrupção, prevaricação, egolatria e imoralidade, ou ainda os vícios do tabaco e do álcool. Portanto lutamos contra instintos que trazemos de nossas encarnações passadas, valores atávicos que nos prendem no chão e, muitas vezes é como se esses desejos estivessem nos afastando dos nossos objetivos primordiais, que é a ascensão espiritual para um mundo mais evoluído.

Valores Materiais

Em busca de tais valores materiais todos correm, porém, envolvidos num manto que encobre o real objetivo das encarnações, muitos são os espíritos que se debruçam e enfrentam a corrida do ter e do possuir.
De uma maneira tão forte abraçam esse ideal que na história constatam-se grandes fortunas, frutos de empreendedorismos verdadeiros que em muitas situações têm colaborado com os semelhantes, produzindo trabalhos para que pais de famílias sustentem a sua prole e que jovens iniciem seu desenvolvimento.

Observa-se nestas situações um desenvolvimento dos valores materiais associados aos valores espirituais.


É grandioso, é salutar, é cristão, valores materiais assim adquiridos e socializados com os que deles necessitam para seu sustento.

Ética, caminho da evolução

O mundo atual passa por um constrangimento muito forte e preponderante do mal sobre o bem, do sofrimento sobre a felicidade, da guerra sobre a paz, enfim, da violência sobre a fraternidade.

Com a sistemática concentração de riquezas nas mãos de poucos homens, e, que preocupados com o poder material, não percebem o domínio do instinto sobre a razão, onde prevalece o egoísmo e a vaidade com a característica marcante do instinto em buscar prazeres no alimento, no álcool, no luxo, no jogo, ou na satisfação erótica.

Esse ardente desejo dos prazeres, marcantemente interesse materialista como “causa”, está focado na individualidade, com requintes de ignorância total sobre o bem coletivo, leva o homem aos desatinos de conquistas materiais a qualquer custo, doa a quem doer, principalmente através da corrupção, gerando “efeitos” de sofrimento geral, onde predominam sentimentos de tristeza, angústia e a depressão nos demais, com perdas irreparáveis, sejam individuais ou coletivas, contribuindo ainda mais com a pobreza, mendicantes, excluídos da saúde e justiça, e o crescimento da população carcerária e enfermos mentais.